02/05/2019

vitamina c: entenda seu poder de ação como substância antioxidante, rejuvenescedora e clareadora [dicas do médico]


A vitamina C é um ativo que vem ganhando destaque no skincare, tanto em sua aplicação na formulação de produtos como em tratamentos estéticos clínicos.

Por ser, relativamente, uma novidade no segmento - que, há pouco, conseguiu estabilizar essa molécula complexa, pra que o produto não oxide e que, ainda, conte com um percentual de ação eficaz e eficiente - ainda existem muitas dúvidas, e até mitos, a respeito da Vitamina C.

Assim, para nos ajudar a saber mais e também para esclarecer algumas de nossas dúvidas, compartilhamos a seguir o artigo assinado pela Dra. Kédima Nassif, pela Dra. Claudia Marçal e pelo farmacêutico, consultor e pesquisador Lucas Portilho (as respectivas biografias estão no fim deste post):


Vitamina C: entenda o poder de ação da substância antioxidante, rejuvenescedora e clareadora

Especialistas reforçam o poderio anti-idade da Vitamina C, destacando sua ação antienvelhecimento, além de combater os radicais livres, impedir a formação de manchas e ajudar a evitar inflamações na pele



Referência dermatológica como um antioxidante, a Vitamina C tem vários benefícios para a pele, como ação clareadora, antienvelhecimento, imunoprotetora e até anti-inflamatória. É por conta de todas essas ações que essa vitamina é um clássico nas prescrições dermatológicas. “O Ácido Ascórbico, ou Vitamina C, é um poderoso antioxidante, cuja aplicação tópica permite alcançar níveis que não seriam possíveis com a ingestão de frutas ou de suplementação oral. De modo geral, além de frear a ação dos radicais livres, a vitamina estimula a formação de novo colágeno e ajuda a proteger a pele dos efeitos do sol, na medida em que uniformiza o tom de pele e melhora sua textura. Também é importante para diminuir as rugas”, afirma a dermatologista Dra. Claudia Marçal, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Academia Americana de Dermatologia. “Mas um dos problemas da vitamina C é garantir sua estabilidade, ou seja, impedir que a substância sofra oxidação em seu frasco. Outra questão é garantir que ela penetre nas camadas mais profundas na pele”, acrescenta a dermatologista Dra. Kédima Nassif, membro da SBD.

Segundo o pesquisador em Cosmetologia Lucas Portilho, farmacêutico e diretor científico da Consulfarma, a Vitamina C está disponível no mercado em diversas formas, porém em muitas oxida com facilidade, pois o composto é quimicamente instável, perdendo rapidamente suas propriedades quando entra em contato com a luz, o oxigênio e o calor. Por isso, o ideal é que se dê preferência para produtos cuja vitamina é apresentada em nanocápsulas, isto é, encapsulada em micropartículas. “Para uso tópico, existe a forma pura da vitamina C (ácido L-ascórbico) e seus derivados. É uma tendência o uso da vitamina C em formas mais oleosas ou envolvida por complexos lipídicos, as talasferas ou nanosferas que também melhoram a penetração da vitamina C e sua eficácia, por facilitarem a interação entre a substância e os lipídios da pele”, diz a Dra. Kédima. É como se esses produtos fossem armaduras que protegessem a Vitamina C em seu núcleo e garantissem todos os benefícios do ativo ao entrar em contato com a pele.

Hoje, é possível encontrar Vitamina C em produtos, cujas doses variam entre 5 e 25% no geral, de forma que a concentração de 20% de Vitamina C estável já garante multibenefícios. Para saber mais sobre as ações da Vitamina C, confira o que os especialistas explicam:

Antioxidante — Segundo a dermatologista Dra. Claudia Marçal, a potente ação antioxidante da Vitamina C é atribuída à ação SOD-like (superóxido desmutase) que neutraliza os radicais livres. “A SOD é uma enzima antioxidante existente em nosso corpo. Com a Vitamina C, adicionalmente, o resultado é uma proteção muito maior contra os radicais livres”, destaca a Dra. Claudia. “Os radicais livres gerados pela radiação ultravioleta desencadeiam reações que causam diversos danos às células, como alterações químicas diretas ao DNA celular e à membrana celular e a quebra de proteínas, como colágeno e elastina, além de acelerarem o envelhecimento cutâneo e estimularem a produção de mediadores que contribuem para a inflamação. Então, a Vitamina C é efetiva contra os raios UVB e UVA, pois, apesar de não absorver a luz ultravioleta como os filtros solares químicos, exerce ação fotoprotetora ao neutralizar os radicais livres”, diz Lucas. A Vitamina C ainda oferece proteção avançada contra a oxidação, ao funcionar como um bloqueio físico ao dano da radiação. “O ativo também promove benefício biológico, com a redução das células queimadas e em mutação. Estudos da Universidade de Yale asseguram que antioxidantes como a Vitaminas C e E, quando usados juntos, têm efeito benéfico para proteger e evitar a formação de dímeros (mutação) no DNA. Os dois antioxidantes promovem proteção maior, potencializando a fotoproteção”, explica a médica.


Antienvelhecimento — Segundo a Dra. Kédima, a vitamina C participa de uma reação química que organiza as moléculas de colágeno em fibrilas, a forma que tem função na pele. O ativo também age na firmeza e elasticidade da pele, com dupla ação sobre o colágeno: promovendo sua síntese e impedindo a atividade das enzimas de degradação. “Ao inibir as enzimas MMP-2 e da MMP-9 (responsáveis pela destruição das fibras de ancoragem e sustentação da pele), a Vitamina C age prevenindo o envelhecimento cutâneo. Além disso, o ativo promove a formação de colágeno na pele, uma vez que é cofator dessa síntese”, explica a Dra. Claudia Marçal. Em outras palavras, produzindo mais colágeno (principalmente do tipo 1 e 3) e inibindo a sua degradação, a pele apresenta mais firmeza e melhora da elasticidade. Aliás, é vantajoso combinar a Vitamina C com outros ativos como o ácido hialurônico. “A aposta nessa associação parte do princípio que o ácido hialurônico, por si só, já eleva a produção do colágeno da pele e aumenta a hidratação cutânea, como é visto em alguns estudos, resultando em melhora da sustentação, textura e rugas. A vitamina C é responsável por estabilizar o colágeno formado no organismo e assim, ao juntar os dois componentes, aumentamos o nível e a qualidade do colágeno produzido na pele”, diz a Dra. Kédima.



Imunoprotetor e anti-inflamatório — Como benefício imunoprotetor, reduz os mensageiros pró-inflamatórios, estimulados pela exposição aos raios ultravioleta. “Além disso, a Vitamina C pode ser utilizada no tratamento da acne e rosácea, além de conseguir prevenir processos de hiperpigmentação pós-inflamatória. Isso porque o ingrediente inibe o Fator Nuclear Kappa B (NF-kB), complexo proteico responsável pela ativação de diversas citocinas e interleucinas pró-inflamatórias, moléculas que participam da comunicação entre as células e desempenham um papel importante na regulação do sistema imunológico, acelerando o processo inflamatório”, lembra Lucas Portilho. A dermatologista Dra. Claudia Marçal também analisa que a Vitamina C protege e restringe os danos celulares no DNA, quando reduz a expressão da proteína P53, um mecanismo de defesa que, em alta quantidade, gera deficiência em agentes antioxidantes, levando à morte celular com consequente envelhecimento precoce.



Clareamento — Outra característica do ativo é com relação à potente ação despigmentante, já que a Vitamina C inibe a atividade da enzima tirosinase, responsável pela síntese de melanina, pigmento que dá cor à pele. “Essa enzima atua no processo de formação de melanina, o que origina as manchas (melanose ou melasma). Ao inibir essa atividade, há efeito clareador na pele”, destaca a Dra. Claudia Marçal. “Os agentes despigmentantes podem agir por diversos caminhos de ação diferentes, seja pela destruição dos melanócitos ou pela interrupção de processos chave na produção da melanina. A Vitamina C encaixa-se no segundo grupo, pois age interagindo com íons de cobre nos sítios de ativação da tirosinase, inibindo assim a ação desta enzima e, consequentemente, diminuindo a formação de melanina”, detalha Lucas.

Por fim, a Dra. Kédima lembra que a vitamina C é um produto seguro e, como contraindicação, há a presença de alergia ao veículo ou a algum componente da fórmula. “Quanto à faixa etária, não a usamos em crianças, porém, a partir da adolescência, seu uso já é possível, caso haja recomendação dermatológica”, finaliza a médica.

FONTES:

DRA. KÉDIMA NASSIF: Dermatologista e Tricologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica e da Associação Brasileira de Restauração Capilar. Graduada em Medicina pela Universidade Federal de Minas Gerais, possui Residência Médica em Dermatologia também pela UFMG; realizou complementação em Tricologia no Hospital do Servidor Público Municipal, transplante capilar pela FMABC e em Cosmiatria e Laser pela FMABC. Além disso, atuou como voluntária no ensino de Tricologia no Hospital do Servidor Público Municipal de São Paulo. www.kedimanassif.com.br

DRA. CLAUDIA MARÇAL: É médica dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), da American Academy Of Dermatology (AAD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD). É speaker Internacional da Lumenis, maior fabricante de equipamentos médicos a laser do mundo; e palestrante da Dermatologic Aesthetic Surgery International League (DASIL). Possui especialização pela AMB e Continuing Medical Education na Harvard Medical School. É proprietária do Espaço Cariz, em Campinas - SP.

LUCAS PORTILHO: Consultor e pesquisador em cosmetologia, farmacêutico e diretor científico da Consulfarma e Pesquisador em Fotoproteção na Unicamp. Especialista em formulações dermocosméticas e em filtros solares. Diretor das Pós-Graduações do Instituto de Cosmetologia e Ciências da Pele Educacional, Hi Nutrition Educacional e Departamento de Desenvolvimento de Novas Fórmulas. Atuou como Coordenador de Desenvolvimento de produtos na Natura Cosméticos e como gerente de P&D na AdaTina Cosméticos. Possui 17 anos de experiência na área farmacêutica e cosmética. Professor e Coordenador dos cursos de Pós-Graduação com MBA do Instituto de Cosmetologia e Ciências da Pele Educacional. Coordena Estágios Internacionais em Desenvolvimento de Cosméticos na Itália, França, Mônaco e Espanha. Atua em desenvolvimento de formulações para o mercado Brasileiro, Europeu e América Latina.

0 comentários:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...